domingo, 2 de janeiro de 2011

Domínio dos Mares de Morros

"O domínio dos mares de morro corresponde à área de mais profunda decomposição de rochas e de máxima presença de mamelonização topográfica em caráter regional de todo o país"

"A alteração das rochas cristalinas... atinge aí o seu maior desenvolvimento, tanto em profundidade quanto em extensão chegando a ser universal para enormes setores das regiões serranas acidentadas dos planaltos cristalinos do Brasil sudeste..."

"É uma paisagem de forte expressão aureolar, que se estende por algumas centenas de milhares de quilômetros quadrados refletindo a ação dos processos morfoclimáticos tropicais úmidos em uma faixa hipsométrica cuja amplitude é superior a mil metros..."

"A área core do domínio dos mares de morros é encontrada sobretudo nas regiões serrana graníticos-gnaissicas florestadas do Brasil de sudeste, com tipicidade máxima nas zonas mamelozinadas extensivas da bacia do Rio Paraíba do Sul."

Aziz Nacib Ab'Sáber. Os domínios de natureza do Brasil: potencialidades paisagísticas. São Paulo: Ateliê Editorial, 2003, p. 57.

Proposta Curricular do Estado para o ensino de Geografia - 5° série








terça-feira, 12 de outubro de 2010

Recurso natural limitado

"A natureza sempre foi a maior fonte de matéria-prima para nós construirmos nosso mundo(...). Hoje, com a expansão das indústrias e de laboratórios, quase todas as matérias-primas passam por transformações que alteram as suas características iniciais (...). Mas a tecnologia não pode substituir a diversidade de materiais existentes na natureza, nem é suficiente para que nós nos tornamos independente do meio ambiente. Matérias-primas como madeira, borracha, petróleo, metais, muitos desses recursos têm um estoque limitado no planeta. Os recursos devem ser utilizados com economia e cuidado, sem desperdícios e com o menor impacto possível."

"Quando forem retiradas do subsolo, as reservas de petróleo e carvão estarão esgotadas, sem a possibilidade de se formarem novamente, pelo menos daqui a milhões de anos... É por isso que consideramos um recurso natural limitado."

Jenner Procópio de Alvarenga
José Luiz Pedersoli
Moacir Assis dÁssunção Filho
Wellington Caldeira Gomes

Explorar é uma relação que o homem estabeleceu com a natureza desde que atribuiu valor aos recursos obtidos dela e que, ao longo da história, transformaram-se em produto pelo trabalho realizado. Defini-se então recursos naturais quaisquer materiais retirados da natureza e se lhes são atribuídos valores, do contrário não existe recurso, o material é apenas natural, sem o uso, sem o valor não pode ser definido como um recurso.

domingo, 14 de fevereiro de 2010

Dinâmica Interna da Terra

Geosfera – dinâmica das esferas terrestres formada por litosfera, hidrosfera e atmosfera, e que juntas possibilitam a existência da Biosfera, a vida.

Hidrosfera – camada de água do planeta
Atmosfera – camada de gases do planeta 
Litosfera – camada de rochas do planeta

Crosta ou Litosfera
Parte sólida e externa do planeta formada por rochas mais ou menos leves compostas de minerais como silício, alumínio e magnésio variando na profundidade de até 70 km (os dados podem varias de acordo com o autor).

Manto ou Astenosfera
Parte intermediária formada por rochas sob pressão compostas por silício, ferro e magnésio variando até cerca de 2900 km de profundidade.

Núcleo
Parte central da Terra composta por níquel e ferro. Dividi-se em núcleo externo, camada líquida e de até 5100 km de profundidade núcleo interno, camada sólida variando até o raio da Terra, 6378 km de profundidade.

Deriva Continental
Formulada a partir da fragmentação da Pangeia, no início do século XX, pelo engenheiro e meteorologista alemão Alfred Lothar Wegener, onde os continentes se deslocariam, fragmentariam-se, colidiriam ou se afastariam. Posteriormente, a fragmentação resultaria nos continentes Gondwana e Laurásia. Atualmente, as formações continentais conhecidas são Europa, África, Ásia, Américas, Oceania, Antártica.

Quais foram as evidências que Wegener usou para defender a sua teoria?
Além da aparente junção que há entre a América do Sul e África, a ocorrência de alguns tipos de rochas e formações geológicas semelhantes em certas regiões, incluindo os períodos de glaciação e a ocorrência de alguns fósseis similares nos dois continentes.

Processos Endógenos

Os processos endógenos são forças internas que esculpem o relevo da Terra resultando em dobramentos, falhas, vulcanismo, movimentação da superfície.
Tectônica de Placas
É a fragmentação da crosta continental e crosta oceânica em diversos blocos denominados placas onde há limites entre uma placa e outra e associados à fortes processos como vulcanismo e terremotos, por exemplo, decorrentes dessa movimentação.
Os movimentos das placas são devidos às correntes de convecção que ocorrem no manto onde o material fundido, o magma, movimenta-se lateralmente. À medida que o material se desloca entra em atrito com as placas rígidas levando-as ao movimento e de toda a crosta.
Principais Movimentos das Placas
Placas Divergentes – a separação das placas resulta em aumento, expansão do assoalho oceânico pelo derramamento do magma que é liberado com o rompimento do manto. A esse processo estão associados vulcanismos, formação de dorsais marinhas, arco de ilhas, rift valley (enormes fendas na crosta) e atividades de sísmicas.
Placas Convergentes – a colisão de placas resulta em abalos sísmicos (terremotos), dobramentos (formação de montanhas) e maremotos (tsunamis). Há destruição da placa menos resistente.
Placas Transformantes – ocorre em locais onde não há convergência nem divergência de placas. Os movimentos laterais das placas resultam em falhas e fraturas nas rochas, como é o caso de San Andreas nos EUA e a falha da Anatólia na Turquia. Há desnível no terreno onde uma área rebaixa e outra soergue, não há destruição de placas.